julho - 21 - 2015 | 6 comentários

Quem me segue no insta sabe que estou fazendo os 21 dias de meditação de um aplicativo que recomendei para todo mundo, chamado Meditation Experience, do Deepak Chopra e da Oprah. O tema desses 21 dias é gratidão e a cada dia eles focam em um aspecto relacionado à gratidão. Esses dias um desses aspectos me fez chorar e vou contar aqui porque.
O “centering thought”, pensamento que deve ser usado para “trazer de volta” caso sua mente voe para algum outro lugar, era: “When I don’t resist, I’m in grace” ou “quando eu não resisto, eu estou em graça”. Por “graça” entenda-se “estado de graça”, estado esse que é naturalmente alcançado através da gratidão. E eu chorei… as lágrimas iam escorrendo à medida que uma cascata de lembranças ia passando como um filme na minha cabeça. De fato, acredito que atravessei o câncer com GRAÇA, justamente porque não resisti. Essa foi uma espécie de “chave” para mim, abrindo um portão para todas as lembranças, o sentimento de RENDIÇÃO que eu tive pouco depois de receber o diagnóstico e a paz que ele me trouxe. Já falei algumas vezes sobre isso aqui: eu me sentia carregada no colo. Eu não resisti, eu segui o fluxo, eu deixei as coisas acontecerem, eu respirei, eu vivi o presente com amor. Senti gratidão por finalmente ter descoberto o que eu tinha, por poder receber um tratamento decente, num hospital mega confortável, cheia de pessoas que me amavam em volta de mim. Senti gratidão por cada dia depois da primeira quimio que meu cabelo demorou para cair. Lembro que senti uma gratidão enorme – e genuína – porque no meu aniversário, 12 dias depois da primeira quimio, ainda estava com cabelo. Senti gratidão por ter a graça de não precisar trabalhar nesse momento (não precisar no sentido de ninguém depender financeiramente de mim e de eu poder me dar ao luxo de depender financeiramente de alguém). Senti gratidão por ter começado o blog e ter podido ajudar centenas ou milhares de pessoas com ele, só contando a minha experiência e mostrando como estava passando por tudo isso. Senti gratidão porque antes da doença Deus me deu ferramentas para lidar com ela: fé, família, yoga, meditação, espiritualidade… Senti gratidão em momentos em que me pegava assistindo a um filme no meio da tarde de uma segunda-feira chuvosa e pensava em quanta gente não queria estar no meu lugar. Enfim… eu sentia muita gratidão! Uma coisa que me vinha sempre à mente era quando o anjo Gabriel foi contar a Maria que ela seria mãe de Jesus e ela disse: “seja feita a Vossa vontade”. Ela se rendeu e ela ficou “cheia de graça”: “Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco”. Inspiração, lição, luz… sei que lembrava disso e pensava: “seja feita a Vossa vontade”. E eu me sentia em GRAÇA.

Quando me disseram que eu não poderia ter filhos, tive a mesma lição. Primeiro eu me revoltei. Corri para a terapia, não queria ir a nenhum lugar que fosse cheio de crianças, me perguntava o porquê o tempo todo… ou seja, eu resisti. O tempo foi passando, eu fui olhando para tudo que já tinha passado, fui buscando dentro de mim as ferramentas para lidar com mais esse momento de dificuldade… Em algum momento, a chave virou. Eu parei de resistir. Eu aceitei. Seria feita a vontade de Deus e eu tiraria o melhor dela. Em cada momento de tristeza e dúvida, eu respirei. Fique chateada muitas vezes, mas até isso eu aceitei. E aconteceu: eu engravidei, ganhei meu milagrinho. Mas me lembro muito bem de ter escrito pouco antes de saber que estava grávida e ter sentido isso de coração: se eu não engravidasse, ainda assim não acharia que Deus tinha me traído ou me abandonado. Eu saberia ainda assim que Ele me amava, só que teria escolhido um caminho diferente para eu trilhar. Quem sabe eu adotaria, faria uma fertilização, mudaria minha vida por completo… sei lá. Eu aceitaria, não resistiria. E quando eu parei de resistir, a GRAÇA estava ali, assim como a gratidão.

Precisava compartilhar com vocês esse sentimento, essa “chave” que foi tão importante para mim. Acho que se pudermos colocar isso em prática nas nossas vidas, vamos ver que tudo vai melhorar. Afinal, não adianta estressar com o que você não pode controlar, certo? Nossa ferramenta nesses casos é se encher de sentimentos bons, luz, amor, gratidão e graça. O resto vem e, seja o que tiver que ser esse “resto”, ou seja, o resultado do que está nos afligindo, com certeza ele será melhor se estivermos em paz esperando por ele.

Namastê

6 Comentários até agora.

  1. Elisie disse:

    Querida Helo, é exatamente assim que o Senhor Jesus trabalha. Quando enfrentamos um desafio e nos vemos totalmente na mãos Dele, resistir é o processo errado. Mas aceitar e deixar-se levar por Sua vontade, faz com que nosso coração descanse. Assim recebemos a graça que vem do céu e apenas Ele pode dar. Você entendeu exatamente o mistério.Deus é bom, mesmo que em algumas situações da vida Sua mão pese. Mas a mesma mão é aquela que te coloca em pé, te empurra para frente e te faz uma vencedora. Deus permite a ferida para depois cura-la! Parabéns pelo seu lindo texto!!!!!!

  2. Samantha Piza disse:

    Helô, eu amo ler seus depoimentos e compartilho totalmente dessa filosofia gratidão e graça!!!Vc é pura luz e seu milagrinho uma boneca!!!!Linda!!!Beijos

  3. Fabiana disse:

    Que linda mensagem…nos enche de esperança, ânimo…
    Deus nos prova a todo instante, temos que ter muita fé e paciência para compreender e aceitar os Seus desígnios.

  4. Hariana Hörni disse:

    Que lindo!
    Emocionante!
    Há palavras que lemos e muitas outras coisas acontecem no momento certo.

    Obrigada!

  5. Heloisa Orsolini disse:

    Sá! Que saudade!!!!!!!! Muita saudade! Beijos mil querida!

  6. Heloisa Orsolini disse:

    Lindo Elisiê! Amei seu comentário! Beijos querida