fevereiro - 5 - 2016 | comente

Gente, vou contar um segredinho… Parei um pouco a minha terapia e preciso dar vazão aos meus pensamentos e sentimentos por aqui de novo urgente kkkk… Aliás, uma das coisas boas da terapia é isso: ao invés de falar mal de alguém para as pessoas erradas, falamos para a terapeuta e morre ali! Não que vocês sejam as pessoas erradas e nem que eu vá ficar falando mal dos outros para vocês, mas… Deu para entender, né? Quando eu estava doente, direcionava muitos dos meus pensamentos e sentimentos para o blog. Como eu já disse aqui uma vez, podia falar praticamente de tudo aqui, estava “desculpada” e, fora isso, estava mesmo meio “fora do mundo”, sem trabalhar, em casa… então não tinha que ter medo de acabar comentando coisas do meu dia a dia que poderiam chatear alguém. Depois que voltei à vida “normal” (vai saber o que é “normal” hoje em dia, né? rsrsrs) acabou ficando mais difícil ser tão aberta, porque teria que comentar casos do meu dia a dia que envolveriam outras pessoas e nem sempre eram coisas boas, então acabei ficando um pouco mais reservada. Aí veio a maternidade e fiquei ainda mais reservada. Mas ando sentindo uma necessidade louca de falar de novo, tagarelar, expor minhas ideias… Posso??? Hehehe…

Quem me segue no insta ainda fica sabendo mais da minha vida e das minhas coisas, sempre posto por lá e há exatos 38 dias estou postando diariamente o Desafio da Gratidão da Helô. Cada dia escolho um motivo pelo qual sou grata e posto. Poderia colocar várias coisas por dia, mas as fotos nem sempre acompanham, então… Lá tem que ter foto, né? E já contei para vocês que sempre esqueço de tirar fotos das coisas porque não gosto de ficar grudada no celular o dia inteiro. Sempre temos inúmeros motivos para agradecer na vida. Eu tenho muitos!!! Verdadeiros milagres. Muito em breve vocês saberão de mais algumas coisas maravilhosas que tem acontecido. Mas uma vez uma professora de yoga me disse: “como é difícil ser espiritual no Brasil…”. Ela mora nos EUA. São tantos desafios que a gente enfrenta aqui todos os dias que realmente, é muito difícil. Como é difícil manter a fé nas pessoas e na humanidade com o tanto de coisinha errada que vemos todos os dias. Ligar o noticiário então… é com a certeza de que baixaremos nosso nível de energia. Respiramos fundo, meditamos e seguimos em frente. Se não meditamos, ferrou kkkk… Aí vemos um gesto bonito, uma pessoa do bem e vamos recuperando a fé, para logo em seguida levar um puxão de tapete de novo. É gente, essa é a vida por aqui. Quem disse que seria fácil? Eu achava que à medida que ficássemos mais velhos ficaríamos mais tolerantes e pacientes. Mas depois que virei mãe vi que muitas vezes acontece o contrário. Temos que tomar tantas providências, resolver tantos pepinos, correr tanto com tudo, que fica mais difícil termos paciência e tolerância com coisas que claramente são falta de boa vontade, falta de bom senso, falta de competência, falta de respeito e falta de educação. E falta de tempo! Porque realmente, depois que temos filhos, ele vira um bem tão precioso que é até difícil valorar. Cada minutinho perdido tentando consertar alguma falcatrua ou falta de incompetência de alguém é um minutinho a mais que poderíamos estar curtindo nossos filhos ou mesmo fazendo alguma coisa para nós, como meditar e ver se recuperamos a paciência perdida kkkk… Fazer a unha, tomar banho e se maquiar direito também entram nessa lista. Nessas horas, percebo o quanto meditar é fundamental. Pode ser só por 10 minutos. Quem não consegue 10 minutos? Eu bem sei, às vezes é muito difícil se permitir “parar” esse tempo sabendo do zilhão de coisas que temos para fazer. Mas acreditem em mim (e testem por vocês mesmos): fazemos as coisas com mais foco depois, levamos menos tempo, desatamos alguns nós (parece que as coisas “encaixam” e começam a dar menos errado) e, o mais importante: ficamos mais leves, mais felizes, nossa aura muda, retomamos a fé na humanidade e no amor. E comprovadamente Isso não vale 10 minutos? Essa é uma bronca que eu mesma me dou, porque nessa correria que foi janeiro acabei “pulando” alguns dias. Meu Deus, como me fez falta! Meu maior problema é que eu gosto tanto de meditar que eu amaria meditar 1 hora por dia. 10 minutos parece tão pouco que muitas vezes eu fico esperando ter a uma hora, mas preciso lembrar que estou num outro momento de vida e 10 minutos agora valem mais que ouro. E viva os 10 minutos!!! E vocês, tem encontrado esses 10 minutinhos para “se encontrar”? Também tem a sensação às vezes que a vida está te engolindo? Experimente parar por 10 minutos e me conta. Mas conta mesmo, hein? Vou ficar esperando.

Super beijo!

Helô