Ontem fui ao casamento da minha prima-irmã Mariana e do Alberto – o escolhido!!! O Marcelo e eu fomos padrinhos e foi uma emoção muito grande. Vou explicar por que…

Sou muito próxima das minhas primas e a Má é uma delas. Já éramos muito ligadas, mas depois que eu fiquei doente ficamos ainda mais: ela é médica e estava sempre que podia comigo nos procedimentos e cirurgias, o que me dava um conforto ENORME. O Alberto também é médico e também ajudou muito, eu sempre ficava muito mais segura com eles por lá (e minha família toda também, claro).

A Má é filha do irmão da minha mãe, o tio Juninho como é conhecido por nós.  A família é muito unida, ela, seus pais Adalberto e Eliana e o seu irmão mais novo Netinho (apesar dos “inhos”, eles tem quase 1,90!). A maneira como o casamento foi conduzido e preparado reflete o que eu acredito que deve ser um casamento de fato: uma união celebrada com amor sim, mas com muito preparo. Foram meses de preparação. Essa preparação não é só da festa não, que foi MARAVILHOSA, mas do sacramento do matrimônio. O que deve ser conversado, discutido, acertado, aparado e regado antes e durante o casamento. Uns dias antes, confesso, fiquei ansiosa por eles e muito emocionada. A Má e o Alberto se casaram na mesma Igreja que nós e também começamos a namorar mais ou menos na mesma época. Eles levam a religião e o amor a Deus e ao próximo muito a sério. E eles são um belo retrato de amor e união. Esse casamento foi construído sobre a rocha e eu fico muito feliz por poder fazer parte desse momento tão especial…

Maio é o mês das noivas e pretendo fazer mais uns posts sobre esse assunto nesse mês. Nada mais justo que começar com essa bênção tão linda que pude presenciar ontem. Eles já sabem, porque digo sempre, mas amo vocês infinito! E estou muito muito feliz por vocês e por tudo que esse casamento representa para todos: uma reafirmação de que o amor pode tudo!

Seguem algumas fotos (sorry pela qualidade, foram feitas do celular rsrsrsr), só para dar uma ideia! Quando tiver as fotos em alta resolução faço um outro post visualmente mais lindo 😉

A preparação começou cedo…

Fui atrás do meu amigo Erick Santos para fazer o meu cabelo e maquiagem! Resolvi colocar aplique para reviver os velhos tempos!!!! Depois falo mais sobre a sensação de ter cabelão de novo (MARA!!!!)

Madrinhas e daminha se preparando!!!

Os recém-casados saindo da Igreja – não tenho da noiva entrando na Igreja, afinal… não podia ficar tirando fotos lá dentro e perdendo a emoção do momento, certo?

Os noivos com as daminhas e pajens no Rosa Rosarum, o espaço onde foi a festa – LINDO!

Com todos os padrinhos, daminhas, pajens e, claro, os pais dos noivos!

Alberto, eu, Má e minha mãe querida!

Ah, o amor é lindo!!! Rsrsrsr….

Meus irmãos, minha mãe e minha cunha Talitinha linda!

Durante a cerimônia: “prometo amar-te e respeitar-te na alegria e na tristeza, na saúde e na doença…”, agradeci a Deus que meu maridinho cumpre sua palavra como ninguém 😉

Com a Cidinha, uma das maiores incentivadoras do blog! Sempre me puxa a orelha quando eu fico sem escrever e também me lembra de escrever nas datas importantes rsrsrsrsr…. Minha sócia!!!

Caio, meu irmão mais velho mega blaster top!!!

À esquerda, o irmão da noiva! Quanta emoção, hein Tinho??? E à direita o Rique, meu primo!!!

Quanto primo master que eu tenho!!! Ricardo, Mafê, Bellita, Thaís e Teté!

Faltou um monte de gente e um monte de foto, eu sei… mas era o que eu tinha no meu celular!!!! Socorro, não fiquem tristes comigo! Hehehe, depois faço um post bem lindo com as fotos em alta 😉

Útlimo recado para os noivos: Má e Alberto, que Deus continue abençoando essa união, que traga muita luz, muitas alegrias  e que o amor se renove e fortaleça ainda mais a cada dia! Aproveitem muito a lua de mel e dêem notícias de vez em quando (mas só de vez em quando!!!). E saibam que vamos levar o significado da palavra padrinhos ao pé da letra e vamos estar sempre muito perto de vocês para tudo que quiserem e precisarem!!!! Beijos mil, amo vocês!!!!

Se tem uma coisa que eu adoro fazer é me alimentar espiritualmente e emocionalmente através de leituras inspiradoras. Uma das minhas inspirações atualmente é a Gabrielle Bernstein, “inspirational speaker and best selling author”. Ela escreve a partir da leitura do livro “A Course in Miracles” (“Um curso em milagres”), da Mariane Williamson, que mudou sua vida de uma pessoa em total desequilíbrio para uma motivadora e líder espiritual. E, como acredito que “nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, acho que uma forma bem legal de eu colocar minhas ideias para vocês é contando minhas leituras e como eu as interpreto.
Minha leitura no momento é “Add more ing into your life”, ainda sem tradução no Brasil, mas que significa “adicione mais ing à sua vida”, sendo o “ing” uma abreviação de “inner guidance” (guia interior) e também se associa com a forma verbal do gerúndio em inglês, indicando movimento. Nesse livro, ela vai falando dos nossos bloqueios e vai dando sugestões de como superá-los através de planos compostos por exercícios físicos, meditações (reflexões) e diários escritos relatando suas experiências. Eu não sigo os planos completos hoje porque tenho meus próprios métodos e já mergulhei nas reflexões tempos atrás, mas amo a maneira como ela fala dos nossos bloqueios, medos, angústias…. Claro que eu estou em constante trabalho interno e uso muitas dicas, só não sigo os planos completos dela porque, a meu ver, eles servem muito bem para quem nunca fez esse trabalho de auto conhecimento e está começando agora. Eu considero que venho fazendo esse trabalho há 13 anos, desde que comecei a praticar yoga e me interessar por essas leituras inspiradoras, então já estou meio viciada nos meus próprios métodos que me servem bem rsrsrsrs.
Bom, toda essa introdução foi para explicar que muitos textos que vem por aí, incluindo o de hoje, serão baseados ou inspirados nessa leitura que estou fazendo agora (e outras que virão) dos meus “gurus”. Aliás, vou falar sobre essa palavrinha num texto futuro, aguardem!
No texto de hoje quero abordar o momento mágico da virada, “quantum shift” como diz a Gabby ou ” ‘Ahá’ moment” como diz a Oprah. Adoro o termo usado pela Oprah, ele explica bem o que é esse momento mágico da virada: é aquele momento em que você descobre alguma coisa, percebe algum bloqueio, entende o que está te puxando para trás e resolve que está mais do que na hora de mudar – e mais, que você PODE mudar, porque a mudança está ao seu alcance e nas suas mãos. Por isso o “ahá”, seguido pelo famoso “como é que eu não me toquei disso antes?”.
Esse momento mágico da virada costuma chegar em momentos de reflexão, quando não estamos satisfeitos com o rumo que nossa vida está tomando. Geralmente, percebemos que queremos ser de uma determinada maneira, queremos ser percebidos pelos outros dessa mesma maneira, mas estamos longe disso. Por quê? O que está nos mantendo afastados do nosso “eu verdadeiro”, do que queremos ser de verdade?
Para isso, é necessário ter essa resposta: “o que eu realmente quero ser?”. Quero ter sucesso profissional? Quero ser uma ativista ecológica? Quero ser uma mãe presente? Quero ser magro para sempre? (Sim, até isso vale rsrsrsrs). Então, segue-se a pergunta: ” o que está me mantendo afastado disso?”. Muitas vezes, nesse momento, alguém pode pensar: “o que não, quem”. Mas isso é assunto para um outro post, onde vou falar sobre “o espelho” – repetidas vezes a restrição que sentimos vindo dos outros é um mero reflexo das nossas restrições internas, só precisamos identificar isso, entender e liberar (prometo que falo melhor disso mais para frente).
Para exemplificar: se você quer ter sucesso profissional, está se dedicando o suficiente para isso? Ou está indo para a balada todo dia e chegando no trabalho de ressaca, fazendo seu rendimento cair pela metade? Está usando seu tempo eficientemente para o seu desenvolvimento profissional? Já fez o curso, a faculdade, a pós,o curso de inglês que vai te fazer “chegar lá”? Se não, o que está te impedindo? Falta de dinheiro? E você já fez um planejamento financeiro para conseguir ter o dinheiro para seguir aeu plano de carreira? Ou preferiu fazer uma plástica antes? Comprar roupas? Gastar nas baladas? É hora de pensar se suas atitudes estão te levando aonde você quer chegar ou te afastando do seu destino. Sem desculpas. É hora de ser verdadeiro com você. É hora de olhar e dizer: “eu não tenho dinheiro, mas lá no fundo eu sei que se eu quisesse realmente poderia tentar conseguir uma bolsa de estudos ou poderia fazer um planejamento financeiro para alocar o dinheiro que eu de fato tenho para o meu objetivo e não para outras coisas”.
Outro exemplo que podemos citar aqui é quem pára de fumar ou resolve emagrecer. Tudo isso está nas nossas mãos, sabemos disso. Mas normalmente usamos desculpas como: não tenho tempo de fazer exercício, não tenho tempo/dinheiro para me alimentar direito, minha mãe só faz comida gorda, meu marido gosta de churrasco e cerveja, tenho muitos compromissos sociais cheios de comidas gordas e gente fumando, estou muito estressada…. Mas a gente sabe que tudo isso é desculpa. Quando você passa pelo momento mágico da virada percebe que, se realmente quiser, nada disso vai te impedir de chegar lá. Nada.

Então, eu sempre me pergunto de tempos em tempos que tipo de pessoa eu quero ser. E sempre faço a reflexão se estou agindo com coerência para chegar lá. Se não estou, o que posso mudar? Quando posso começar? Todo ex-fumante passou pelo momento mágico da virada. Todo ex-obeso também. Todo ex-viciado (em qualquer coisa, como compras, drogas, jogos, sexo e até sedentarismo) já passou pelo momento mágico da virada. Eu já passei pelo momento mágico da virada. E vou continuar passando repetidas vezes ao longo da vida. E você, já passou? Conte-me tudo!!! Rsrsrsr, nos comentários 😉

Equilíbrio

18 de abril

Estava conversando com a minha chefe Mari sobre alguns blogs que falam sobre boa forma e saúde, pregando o equilíbrio, mas acabam exagerando e não refletindo equilíbrio nenhum. A Mari comentou: “queria que tivesse um blog de uma pessoa normal, que trabalha, que tem família, e que tenta fazer as coisas com equilíbrio”. Vou fazer meus comentários por aqui…

Em primeiro lugar, é muito difícil manter o equilíbrio hoje em dia, até porque cada um chama o que bem entender de equilíbrio, né? Rsrsrssr… o que é equilíbrio para mim pode não ser para outra pessoa. O que é então desequilíbrio? Para mim, é qualquer coisa que te deixe mais tensa do que feliz, que te tire do seu ambiente e convívio familiar e social, que tome mais do seu tempo do que você imagina. E equilíbrio é tudo que é feito visando seu bem-estar geral, físico, mental, emocional, espiritual… Quando uma dessas coisas começa a ser mais importante que todas as outras, aí perdeu-se o equilíbrio. Eu concordo com a Mari, alguns blogs que vejo por aí pregando o equilíbrio não têm equilíbrio. Por exemplo, às vezes você chega em casa cansada e resolve trocar o jantar por um pote de iogurte com granola, tudo bem, a gente entende. Mas quando você tem milhares de seguidores, incluindo adolescentes e até crianças, e faz essa substituição como se fosse uma coisa normal, pode estar exercendo uma influência bem negativa na vida dessas pessoas. A mesma coisa quando você condena quem pede pizza domingo à noite ou come um chocolate na Páscoa. Eu também acho que é mais saudável comer outra coisa no domingo à noite e não se acabar no chocolate só porque é Páscoa, mas acho que tudo isso faz parte da vida e que podemos sim comer tudo isso, desde com moderação e como exceções e não regra. Até porque, na minha opinião, toda proibição gera compulsão. O duro é que encontrar esse equilíbrio é que é difícil! O Marcelo, por exemplo, prefere não comer chocolate do que comer só um pedacinho (depois de 8 anos juntos ele está melhorando um pouco rsrsrsr). Cada um tem que encontrar o seu caminho.

Outra coisa que é interessante quando pensamos em equilíbrio é o tanto de exercício físico que se faz e com que intuito. É lógico que exercício é saudável e maravilhoso, mas na minha opinião deve ser feito visando a saúde. Quando você vai mesmo doente, quando se machuca praticando e continua praticando, quando passa a deixar a família, o sono, os amigos e viagens de fim de semana para malhar pensando no corpo que vai conquistar, isso para mim é desequilíbrio. Mas quando é feito pensando no seu bem-estar e na sua saúde, com moderação, acho maravilhoso. Acho que qualquer blog que incentive a prática de exercícios físicos e uma alimentação mais saudável é incrível, desde que a blogueira se lembre que nem todo mundo que ler tem uma mente preparada para seguir suas palavras com moderação e sabedoria.

Também acho muito “engraçado” quando leio entrevistas de modelos dizendo que são magras daquele jeito naturalmente, que se alimentam super bem e comem muito de tudo, quando eu já convivi com elas e sei que é mentira rsrsrsr…. Aí as pobres coitadas que leem ficam frustradas achando que tem alguma coisa errada com o metabolismo delas! Gente, não acreditem nessas coisas… Eu acho que temos que buscar a saúde e o bem estar em primeiro lugar: tentar gostar de comidas saudáveis, acostumando o paladar aos poucos, pensando que aquele alimento é realmente melhor para você e que você está se cuidando ao fazer essas escolhas. Meu conselho é pensar em nós mesmos como se fôssemos nossa mãe: você não quer o melhor para o seu fiho? Não quer que ele tenha saúde, amigos, família, tempo para o lazer, um trabalho legal, que seja reconhecido pelo que faz de bom e de bem e que seja feliz? Quando eu faço minhas escolhas de vida eu penso nisso. E isso inclui sim muitas vezes ter uma vontade de comer um chocolate e pensar: “prefiro comer uma coisa que me nutra, que me traga saúde e vitalidade. A vontade do chocolate não é maior que a minha vontade de ser saudável”. Mas que uma vez ou outra inclui:”Estou me alimentando com todos os nutrientes que meu corpo precisa. E estou com vontade de chocolate. Qual o problema? Vou comer um pedacinho!” e conseguir comer só um pedacinho e ter orgulho de mim mesma por saber dosar vontade e saúde. Para mim, o que não é saudável é quando a pessoa se proíbe tanto que se sente a pior dos piores quando cede a um desejo e come um chocolate e depois praticamente entra em depressão por isso. Claro que muitas vezes quando meu despertador toca às 6h para ir para a academia eu preferia ficar dormindo, mas penso como se fosse minha mãe: “é bom para você, levanta e vai!”. E também, quando fui dormir mais tarde porque saí com o meu marido, por exemplo, sei que vai ser mais importante para o meu corpo e para a minha saúde descansar um pouco mais. E não sou um monstro por isso, simplesmente sei que amanhã eu vou para a academia e que o importante é o que é a regra e não o que é exceção…

Desse post todo, a principal mensagem é que, para mim, o equilíbrio é pensar que estou tomando as decisões por mim como se estivesse cuidando de um filho: pensando na saúde e felicidade dele, só isso!!! Esquecer de si mesma e nunca praticar um exercício e só comer porcaria não é o que eu quereria para um filho meu. Nem deixar de lado compromissos sociais, prazeres da vida, importantes horas de sono para ter uma bunda mais dura. O importante é cuidar do corpo, da mente, do espírito e do coração, tudo na mesma proporção!!!

Jason Seaver, a psychiatrist and lovable father on the 1980s sitcom “Growing Pains.” He also hosted two of his own talk shows. In addition to acting, he composed the theme songs to successful shows such as “Wheel of Fortune Replica Celine,” “Diff’rent Strokes” and “The Facts of Life.” Thicke is also father to “Blurred Lines” singer Robin Thicke. “Today I lost my best friend and my idol Replica Celine Handbags, and the world lost one of it’s [sic] finest,” Carter tweeted.

Replica Celine En van de dingen die de vzw aanbiedt, is een tehuis voor niet werkenden. Dit is een residentile woonvorm waar 24 op 24 ondersteuning geboden wordt. De woonbegeleiders doen hun uiterste best om een huiselijke sfeer te creren en betrekken de clinten dan ook zoveel mogelijk bij het dagelijks huishouden van de woongroep. Replica Celine

Currently, over one and a half billion people worldwide suffer from overweight or obesity. We have known for about a decade that a chronic state of inflammation is present in obese patients. This state might play a fundamental role in the development of associated metabolic diseases.

Replica Celine Bags Something about the brisk sea air puts you in the mood for a hearty breakfast, especially when the scent of yeast and sourdough pervades the morning atmosphere downtown. We found an outstanding breakfast at the Porthole Restaurant, on the same battered wharf as the fish market. It’s a local paradise Replica Celine, with weathered wooden tables overlooking the water, homemade sausage and foccacia, and feathery, tart buttermilk pancakes graced with incredibly fresh butter.. Replica Celine Bags

Celine Bags Cheap NBC’s “The Office: Season Two” (audio: , video: 1/2, extras: ) has surpassed its British counterpart by leaps and bounds Replica Celine, quickly becoming one of the best reviewed shows on television. Has America finally found a worthy successor to “Friends” and “Seinfeld”? The show just won the Emmy for Outstanding Comedy Series and was nominated for four others. Comedy heavyweight Steve Carell (“The 40 Year Old Virgin”) leads the excellent ensemble cast through the drudgery of office work at a paper company in Scranton, Pennsylvania.. Celine Bags Cheap

Cheap Celine Bags Replica But this fact of life is aesthetic, not political kids do actually fall for the latest Yalie drug survivor Replica Celine, blame the Democrats or the damn Greens, not Carson Daly http://www.celinebagsusale.com, Vibe, and the failure of Seagrams to make role models out of Girls Against Boys. What’s remarkable about the present pop moment isn’t the ignorance, passivity, and materialism of its consumers, none of it as one dimensional as elitists assume. Correcting for economic anxiety Replica Celine Handbags, which diminished in the ’90s no matter how delusory the new mood may be, do you really think Nirvana’s millions were so different? The change is almost entirely a matter of blandness quotient, in fans and artists alike Cheap Celine Bags Replica.

Posso escrever reclamando? Pior que não… Quando comecei o blog me propus a não escrever quando estivesse brava ou irritada. Por isso estou há duas semanas sem escrever! Fiquei brava com muitas coisas nessas semanas e não posso escrever tudo que quero aqui. E não posso nem começar, senão vou dar pano pra manga, sabe como é né?

Então o que eu posso? Posso contar que peguei uma gripe super forte, com febre e que por isso estou há duas semanas sem praticar exercícios. E que isso me deixa bem mal humorada! Depois de mim foi a vez do Marcelo pegar, tive que ir para o hospital com ele e ele vai ter que tomar antibiótico por dez dias. E que usei esse período para me questionar muito sobre o estilo de vida da sociedade hoje em dia, do qual não temos muito como escapar. O ritmo de trabalho e de eventos sociais é alucinante. Se quisermos ainda fazer exercícios, quase não nos sobra tempo para dormir e assim a imunidade vai indo lá para baixo. Há um tempo atrás pensava-se que todos os avanços tecnológicos nos ajudariam a ter mais tempo para curtir família, amigos, vida… Mas está acontecendo o contrário.

Eu resolvi acordar às 05h45 todos os dias para ir para a academia. Saio do trabalho tarde, o Marcelo também, e acabamos dormindo tarde. É claro que começa a faltar o tempo necessário de sono e isso resulta em cansaço físico, emocional e mental. O que fazer? Não me vem nada mais simples e eficiente que a meditação em mente, algo para o qual sempre alegamos não ter tempo. E lembro de um conto que li esses dias: “Um sábio viu um lenhador com uma serra sem corte tentando cortar uma árvore. Passou por lá uma, duas, três vezes e o lenhador ainda tentando cortar a mesma árvore. Então ele perguntou – ‘porque você não afia sua serra?’ e o lenhador respondeu – ‘não tenho tempo!'”. Acho que eu preciso meditar, meditar e meditar!!!!!!!!! Quem sabe o tempo não se expande? OOONNNGGGGGGGGGGGGGG….