Bom dia!!! Estou sem internet em casa há dois dias! Tive problemas no quadro de luz e fiquei sem nada que seja tomada: internet, TV, geladeira, microondas, telefone…  Se não resolver isso hoje vou ficar maluca!

No último post fiquei de contar por que quase matei o Marcelo do coração. Aliás, linda homenagem que ele me fez com tudo que escreveu, não? Bom… Vamos lá! Na terça à noite ele estava chegando de Londrina, onde tinha ficado para reuniões da empresa. Falei com ele e ele estava pegando a mala no aeroporto, depois pegaria um táxi para casa. Dei uma preparada no jantar (detalhe: ia fazer omelete mas o quinto e penúltimo ovo estava estragado, tive que jogar tudo fora!), coloquei uma tortinha no forno e corri para tomar um banho rápido. Rápido mesmo, estava no intervalo da novela e a tortinha só deveria ficar cinco minutos no forno. Exatamente no segundo que entrei debaixo do chuveiro ele chegou e começou a bater na porta. Claro que eu não ouvi. Começou a ligar no celular. Claro que eu também não ouvi. Ele ficou desesperado achando que tinha acontecido alguma coisa comigo e estava quase arrombando (literalmente) a porta quando eu desliguei o chuveiro e ouvi o telefone. Ele ligando em um e minha mãe no outro, também desesperada, quase chorando. Gente! Eu só estava no banho! Detalhe: a chave de casa estava na mochila dele… Era só abrir a porta… Segundo ele, onde já se viu eu não levar o celular para o banho? Rsrsrsrsrs….

Mudando de assunto, ontem saí do trabalho e fui fazer a unha num lugar lá perto esperando dar a hora do rodízio. Acabei encontrando três bookers da TEN, minha ex agência de modelo (antes da MEGA). Que delícia! A agência é bem pertinho, nem sei como a gente não tinha se encontrado antes! Pena que eu não estava com a câmera para registrar esse momento: as quatro fazendo a unha no mesmo lugar!

Preciso escrever um post falando mais sobre o meu trabalho: agora sim tenho coisas a dizer! Mas vou deixar para a noite (se já estiver com internet em casa), senão vou me atrasar! Estou escrevendo do iPad que tem 3G, mas demora muito escrever por aqui… Bom dia!!!

Não, não estou dando uma indireta no Marcelo… É que ele escreveu mais um texto e o título é “Faça acontecer!”. Antes, tenho que dizer que hoje quase matei o coitado do coração… mas amanhã eu conto… 😉

“Como vocês sabem, os últimos nove meses não foram fáceis para a Helô. Primeiro, a dificuldade do diganóstico. Depois o câncer, o tratamento, a perda do cabelo e, agora, a incerteza sobre o amanhã. Ela sofreu muito!

Lembrei de tudo isso porque vou escrever sobre algo que acredito que faz toda a diferença sobre o que acontece nas nossas vidas, nas nossas trajetórias. Todos nós tivemos e teremos opções diárias de como queremos conduzir nossas vidas, se queremos guiá-las ou sermos guiados por elas. Vejo a vida como um presente. Mas o que vamos fazer com esse presente depende de nós. Para dificultar um pouco mais, quase sempre esse presente não vem exatamente como queremos ou como julgamos que deveria ser. Isso inclui alguns desafios importantes que teremos que enfrentar. Com certeza a Helô caiu e se levantou inúmeras vezes durante o tratamento, foi uma sucessão de notícias ruins e, após cada uma delas, ela podia escolher entre duas decisões: enfrentar ou fugir.

A Helô enfrentou e, acredito que além de enfrentar, usou o problema para ajudar outras pessoas. O que eu realmente acredito é que essa atitude depende somente de nós. Cair e se levantar diariamente não é fácil, mas sem dúvida são as pessoas que fazem isso que fazem a diferença no mundo.

Ter atitude, persistência e entender as dificuldades como uma grande oportunidade pode fazer toda a diferença. Superar-se diariamente é algo que pode ser dolorido, mas quando encontramos um propósito para aquilo, é mais que gratificante. É uma realização, uma redescoberta.

O autoconhecimento para entender o que realmente faz seus olhos brilharem é fundamental. Não se contente  em não estar apaixonado por uma causa. Procure dentro de você, encontre e lute pelo seu ideal.

É natural que nessa trajetória algumas pessoas questionem suas idéias e sonhos. E isso porque o sonho é seu e só seu. Apanhar da vida faz a gente “criar casca”. Faz sermos mais fortes e mais preparados para o mundo. Faz querermos ser melhores e fazermos do mundo um lugar melhor.

A vida passa rápido e o que mais vemos são pessoas querendo voltar no tempo para realizar sonhos esquecidos. Receba o presente, desembrulhe, aproveite e, se possível, deixe outros presentes para o mundo.”

By Marcelo

Prometi, vou cumprir. Aqui vão as fotos com uma breve história do fim de semana! No sábado, a Fer e o Ed foram em casa, com a Lú na barriga!!! É Luisa ou Luiza? Só sei que vai ser linda e que adorei a visita!

À noite, meus pais chegaram. Eles foram pela primeira vez para Londrina especialmente para a casa dos meus sogros. Claro, eles já tinham ido antes, mas não com esse propósito… Jantamos sukiyaki feito com o maior capricho pelo Cláudio (meu sogro) na sua cozinha gourmet, hum…. delícia!

Depois do jantar, meu pai e meu sogro resolveram tocar violão. Os óculos de grau não foram encontrados, foram os escuros com grau mesmo kkk… Eles não paravam nunca mais de tocar, ou melhor, enquanto não terminasse o uísque heheheh…. Eu até dormi…

No dia seguinte, mais festa… Meus pais foram de novo para lá, dessa vez almoçar risoto de camarão e bacalhau. E também levaram meus tios, o irmão do meu pai (Rui), que mora em Londrina, com a esposa (Carmem) e o filho (Hugo). Na foto vocês também vão ver o tio Dido lá atrás: ele é irmão gêmeo da minha sogra!

Quando eles foram embora, chegou o Rafa, vencedor do leilão da camiseta autografada do Corinthians, lembram? Ele foi me entregar o cheque e pegar a camiseta. Mas, gente… eu esqueci a camiseta!!!!! kkkkk, que péssima! A foto abaixo é com ele a a outra é dos filhos dele, olha que coisas mais lindas! Eu sou cercada de crianças maravilhosas, né? Cada dia uma mais linda que a outra…

Agora vou ter que mandar a camiseta urgente… ou pelo correio ou de carona com a primeira pessoa que for para Londrina, né Rodolfo? Rsrsrs… E hoje a Tati veio dormir aqui em casa, já que estou sem marido (ele ficou em Londrina para reuniões da empresa).

Vocês já estão acostumados com os meus sumiços aos fins de semana, né? Depois que o blog mudou de plataforma (de blogger para wordpress) eu tenho mais dificuldade em lidar com ele, apesar dele ser mais bonito. Portanto, quando estou na correria do final de semana, acabo ficando com “preguiça” de escrever. Agora, por exemplo, estou há uns 20 minutos pelo menos tentando entrar no blog, pode?

Bom, vamos lá! Saí do trabalho na sexta, passei para pegar o Marcelo na empresa e fomos direto para o aeroporto! Viemos para Londrina! Chegamos quase às 10h da noite, acordamos tarde no sábado, fizemos várias coisas e meus pais vieram jantar aqui (vieram de Piracicaba). Hoje eles também vieram almoçar aqui com os meus tios e o meu primo, então já viram, né? Fora isso, alguns amigos passaram para nos visitar e o fim de semana voou. Daqui a pouco volto sozinha para São Paulo, já que o Marcelo tem reunião da empresa aqui em Londrina. Posto fotos depois, do meu computador (fica mais fácil).

Desde que terminei meu tratamento ando comendo e bebendo mais: são muitas comemorações, né? Ainda comecei a trabalhar e fico o dia todo sentada. Tenho que voltar logo aos meus exercícios e à minha rotina alimentar regrada se não quiser ganhar uns quilinhos!!!! Sim, sim, eu ainda me preocupo com isso! Como eu sempre digo, estar de bem com a gente é meio caminho andado para tudo! Amanhã escrevo mais e posto fotos! Bom restinho de domingo! 😉

A cirurgia

20 de julho

Fiquei de escrever hoje contando sobre a cirurgia, então… aqui estou!

Para começar, precisava de jejum de 8 horas. A cirurgia era às 13h, o que significava que poderia comer às 5h da madrugada. Pensei: “Claro que não vou acordar essa hora para comer, né? Como um sanduichinho antes de dormir e pronto!”. Senhor! Que arrependimento kkkk…. Quase morri de fome e sede! Gente, sério, isso é muito sofrido. Ficava pensando em quem passava fome sempre… que horror! Nessas horas parece que me solidarizo mais com o sofrimento humano. Enfim… continuando…

Meus pais chegaram umas 10h para irem comigo, claro que eles não ficariam fora dessa, né? 😉 O Marcelo foi trabalhar e nos encontrou no hospital mais tarde. Bom… chegando lá, as perguntas e respostas de sempre: “Seu endereço continua blá blá blá…?”. “Sim, eu não me mudei da semana passada para cá…” “Sabe como funcionam os quartos?”. “Sim, infelizmente.” “Conhece o setor ‘x’?” “Sim, muito bem”. “Vamos colher seu sangue”. “Se vocês conseguirem…” kkkkk…

Parece brincadeira mas, sobre o sangue, é isso mesmo. Ontem, por exemplo, o anestesista brigou com a enfermeira dizendo que ela tinha que usar um acesso mais grosso em mim. Eu pensei: “Se ele soubesse como são as minhas veias, não diria essa bobagem…”. Dito e feito. A coitada da enfermeira olhava para o meu braço (o direito, já que não posso usar o esquerdo por causa da trombose) e dizia: “Não dá, não tem veia!!!”. Entrou um enfermeiro e, vendo a situação, disse a seguinte PÉROLA para ela: “Vai tentando!”. Haaaaaaaaaaaaaaa, o queeeeeeeee???? Vai tentando na sua mãezinha, né? Ele insistiu, pegaram uma veia na minha mão e não saiu nem metade do sangue que eles precisavam. Ai, ai… Resolveram deixar para fazer o acesso quando eu já estivesse na sala de cirurgia.

Antes disso, uma bela injeção no panaro. Hahahahaha, sabem o que é panaro? Bumbum!!!! Pausa para a risada: um priminho meu, na época com uns 8 anos, perguntou para a minha mãe: “Tia Thelma, você acha que o meu panaro tá muito grande?” kkkkkkkkkkk….Continuando: a injeção foi dolorida! Mas nada de insuportável, só chato. Chegando ao centro cirúrgico, vi meu cirurgião que é um querido e um anestesista também querido. Disse: “Olha, eu lembro dele!”. O cirurgião respondeu: “Ele também lembra de você!”. Pensei: “Ufa, tô em casa!”. Ele veio, olhou minhas veias e disse que ia tentar com um acesso bem fininho (ao contrário do que o anestesista bigodão tinha dito! Eu tenho trauma de bigodão!!! kkkk). Ele pegou o acesso no pulso, um lugar bem sensível. Disse: “Picadinha”. Gente, sério! Por que não mandam SEMPRE ele para fazer isso??? Eu nem senti!!! Ah, acabei de pensar… Será que é porque eu já estava meio anestesiada? Pode ser…

Fechei os olhos. Anestesia geral, mas em uma quantidade menor. É só parar com a anestesia que eu acordo. Cheguei no centro cirúrgico às 13h45. Abri os olhos às 14h45, com todos ainda na sala. Tanto que fui direto para o quarto. O quarto errado!!! Quando o enfermeiro chegou ele disse: “Está entregue!”. Pensei: “Ué, cada todo mundo!” e disse “Moço, mudou de quarto? Era o 112!” (verifiquem o nível de ‘acordamento’ da pessoa voltando da anestesia) e ele “Não, esse é o 1.012”. “Então, pode me levar pro meu quarto, já passeei…”  kkkkkkk… E foi isso! Comi um lanchinho, ganhei 2 bombons de cerejas ao licor da Kopenhagen que é o que eu mais amo, dormi até as 19h e recebi alta! Chegando em casa, minha querida mamis fez uma sopinha, meu irmão veio me ver, foram embora e eu dormi cedo!

Hoje acordei com bem pouca dor, na verdade um incômodo, e fui trabalhar! Olha só que menina dedicada!!!!! Senti um pouco de enjôo (nada que não estivesse acostumada) e uma leve dor de cabeça só no começo da manhã. E agora estou super bem! Claro, o local da cirurgia dói um pouquinho e não é recomendado que eu dirija por uns 2 dias. Estou fazendo contagem regressiva para parar de tomar o Clexane (tenho que tomar mais uns 5 dias)!!!! E confesso: nunca ri tanto escrevendo um post!!!

Ah!!! E deixa eu contar uma coisa MUITOOO legal!!!! Hoje eu tive que tirar um pelo da minha sobrancelha!!!!! Uhuuuuuuu!!!!!!!!!! Isso, cresçam, cresçam, cresçam muito!!!!!!!!!! E para quem está lendo, nunca reclame de tirar a sobrancelha kkkkk….